//
Você está lendo...
Economia e Agro, Matérias

Produtor de Sucesso: Produção de Cogumelos

Andriolli Costa / Rural Centro
Publicado em 29/07/2011

Em 1992, quando de cogumelos o mercado brasileiro “conhecia apenas o champignon” – e como ingrediente do estrogonofe – o  zootecnista Carlos Ade resolveu trazer uma inovação para a propriedade da família, em São José dos Campos (SP): a fungicultura. Hoje, quase 20 anos depois, a Fazenda Guirra é referência no setor, e fornece champignon de paris, cogumelo do sol e shiitake para o mercado interno e principalmente para a exportação.

A Fazenda Guirra fica localizada na Serra da Mantiqueira, um local úmido, de clima temperado e com grande quantidade de vegetação nativa. “Era ideal para a produção de cogumelos, mas nós não tinhamos muito conhecimento técnico disponível”, relembra ele. “Como nós já tinhamos uma área de reserva legal com plantação de eucalipto, optamos por introduzir primeiro o cultivo de shiitake”.

Esta variedade é conhecida por se desenvolver em ambiente de floresta, se espalhando pelos troncos das árvores. “O interessante é que a própria mata nativa protege a cultura, que não exige muita mão de obra”. A ideia deu resultado, mas ainda faltava o conhecimento técnico. Entrando em contato com a família no Japão, Carlos – que assumiu o papel de diretor técnico da fazenda – entrou em contato com estudiosos e pesquisadores do setor, que o incentivaram a expandir a produção para outras variedades.

Produção e Mercado
Atualmente, a produção de shiitake da fazenda nem mesmo chega a ser comercializada. Toda a produção é utilizada no restaurante instalado na sede da Guirra, que também investiu no turismo rural para divulgar a fungicultura para os visitantes. Os pratos são todos elaborados com base na produção local, indo desde os mais elaborados – como a truta ao molho de champignon – até os mais inusitados, como o suco de cogumelo.

A principal renda da fazenda vem da comercialização do champignon de paris e do cogumelo medicinal (popularmente conhecido como cogumelo do sol). Com um modelo de negócios diferenciado, a Guirra investe não apenas na produção, mas também em laboratórios de melhoramento genético e em treinamentos e capacitações.

Essa foi a estratégia encontrada pelo empreendimento para ampliar sua rede de fornecedores e conseguir atingir com volume os mercados externos. “Boa parte da divulgação da fungicultura é feita pela internet”, relata Carlos. “Mais do que vender, nosso site apresenta oportunidades reais de negócio para o produtor rural perceber as possibilidades de rendimento que essa produção pode trazer”.

Champignon e Cogumelo do Sol
O lucro da produção de cogumelos depende da variedade, assim como o volume de investimento necessário para se adaptar as necessidades do produto. No caso do champignon e o cogumelo do sol, que são variedades do campo, as sementes devem ser plantadas dentro de sacos cheios de terra e compostagem, feita de palha ou bagaço de cana. A climatização e umidificação é feita dentro das chamadas casas de cultivo, onde ficam até 500 sacos de composto.

“O champignon é um fungo que exige uma condição de cultivo mais técnica, e um investimento mais alto”, relata o zootecnista. “Ainda assim, ele é o melhor negócio para quem trabalha com a fungicultura”. A alta procura no mercado interno consome quase toda a produção a que a Guirra tem acesso. Segundo Carlos, a fazenda tem cinco compradores pequenos que consomem por mês 50 toneladas cada um. “É um número tão grande que nós não conseguimos atender”.

A comercialização desta variedade pode ser feita fresca ou em conserva. No último caso, quando cozido, o champignon perde até 40% do seu peso. Assim, dos 500 sacos de uma casa de cultivo, é possível retirar até 845 kg do produto cozido. Com um preço médio de mercado em torno de R$ 15 o quilo, o lucro final – já descontados os gastos de produção – gira em torno de R$ 8 mil em três meses de ciclo.

O cogumelo do sol, por sua vez, é vendido desidratado sempre em pedaço, capsula ou em pó. O volume produzido, na mesma área, acaba sendo menor que o do champignon – em torno de 66 kg. No entanto, o valor de mercado é muito superior: em média R$ 158,5 o quilo. “Na época a gente não sabia, mas o cogumelo medicinal é tipicamente brasileiro e se adapta muito fácil em diversas regiões. Hoje ele é o nosso produto mais forte, e exportamos para diversos países como Estados Unidos, Portugal e principalmente Japão”, finaliza Carlos.

Serviço
Website: Guirra Agrocomercial – Fungos & Cogumelos

Anúncios

Sobre Andriolli Costa

Jornalista sul-mato-grossense em terras gaúchas. Atua principalmente nas áreas de jornalismo científico, cultural, rural e com estudos de Jornalismo.

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Twitter

%d blogueiros gostam disto: